quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Desafio da Jessica

O António deixou a minha amiga Jessica a pensar tanto tempo que ela decidiu "vingar-se" e dar-me um novo desafio para vocês. Vejam lá se conseguem resolver este.
Um homem rico sentindo-se morrer, deixou o seguinte testamento, todo escrito em maiúsculas e sem nenhum sinal de pontuação.

DEIXO OS MEUS BENS À MINHA IRMÃ NÃO A MEU SOBRINHO JAMAIS SERÁ PAGA A CONTA DO ALFAIATE NADA AOS POBRES
Pontue o texto e conte-nos quem é/são o(s) herdeiro(s) da fortuna do senhor.

13 comentários:

Antonio disse...

Jessica, agora mesmo estou com muita fome e o meu neuronio nao quer mais trabalhar (ele é assim de preguiçoso nestas horas), mas acho que depois do almoço ele vai conseguer resolver o teu desafio. Sem dúvida.

Antonio disse...

Bom, eu enganhei ao meu neuronio e acho que uma possível resposta pode ser:

Deixo os meus bens à minha irma, nao ao meu sobrinho. Jamais será paga a conta do Alfaiate. Nada aos pobres.

Hmmmmmmm, pode ser, nao é?
Jessica, faz favor de dizerrrrrrr.

sigfrido disse...

eu acho que os bens são pelos pobres.
Deixo os meus bens,à minha irma não,,ao meo sobrinho jamais,sera paga a conta do Alfaíate nada.Aos pobres.
cumprimentos

Montse disse...

Deixo os meus bens :
À minha irmã não.Ao meu sobrinho jamais será.Paga a conta do alfaite.Nada aos pobres.

Também pode ser , não é ?
Beijinhos.

Jessica disse...

Muito bem, vejo que o meu desafio não vos causou grandes problemas, o que só demonstra como vocês são uns alunos aplicados.

Penso que vos falta apenas atribuir a herança ao sobrinho ;)

Álvaro Machón disse...

Pronto não poderiam ser as três possibilidades? Concordei com a frase do António mas quando vi as frases do sigfrido e da Montse...Duvidei!

Faltam dois dias para a nossa morte!(no âmbito português, obviamente, ninguém vai morrer, ou isso espero)Certamente a Carmen é mais corajosa do que eu, mas também é certo que é mais humilde :)

Bom, desejo-vos muita sorte para o que vem! E desejem o mesmo para mim, que sou novo este ano e não sei nem sequer como são os testes...Farei alguma coisa mal, como não, e só por ser tão parvo,hahaha.
A outra alternativa é, se quiserem, vamos faltar tudos aos testes!Assim a Susana não tem de corrigir...Nem nós temos de pensar em reprovar...

Bom, vou jantar, que me enrolo mais do que uma persiana!
E depois a Susana zanga-se comigo pelos meus erros...;)

Ah! procurei o significado de "bufa"...Era normal que não dissesse...que engraçada a palavra!
Oxalá que ninguém faça isso nas aulas...hahahaha
Cumprimentos, o Álvaro :)

Ana Laso disse...

Olá a todos!! Eu concordo com o Antonio, só que não sei de onde é que saiou o "o": nao a"o" meu sobrinho.... de ai a minha duvida... se poder ser assim... concordo totalmente.. Espero tenham feito uns examens de 10!!! vemo-nos amanhã.

S disse...

Como muito bem dizia a Jessica só falta entregarem a herança ao sobrinho. Ninguém gosta do desgraçado?

Ai Álvaro, Álvaro, com que então morte? Vocês levam os exames demasiado a sério... E foi procurar a maldita da palavrinha, não? Eu também espero que ninguém decida fazer uso do seu primeiro significado dentro da sala, tendo em conta que é mínima :P

Obrigada a todos por fazerem deste espaço o vosso cantinho :)

S disse...

E, sim, hoje madruguei para corrigir testes, esta é a minha pausa :)

Antonio disse...

Hmmmm, meus colegas, perceberam? A Susana madrugou para corrigir testes?? Nao gostei disso. Porque a esses horas o neuronio dela nao fica desperto.

Hoje á tarde,o meu colega Quique e eu vamos falar como papagaios no teste oral. Ninguem vai falar mais do que nos.

Muita sorte a todos.

S disse...

O Quique como um papagaio? Com o comedido que ele é sempre? Vou gostar muito de ver isso, vou, vou.

Mas em relação ao António acredito, mais ninguém (arriscar-me-ia a dizer que no mundo) tem tempo para fazer piadas no meio de um teste. Isso é um talento e pêras! ;)

Antonio disse...

Bom, Susana, e agora? Depois do teste oral de ontem, nao tens nada que dizer? Falou o Quique como um papagaio ou nao? Eu acho que sim, jajajaj.

Também é verdade que o tema era para escrever um livro, jajajja.

Disfrutei muito com a conversa, porque na vida real é todo o contrario.

S disse...

Excelente, António (e Quique também, porque apesar de não dizer nada eu sei que lê), acho que nunca tinha saído de uma oral a chorar... de tanto rir.